Aloimune • Imunologia da Reprodução

71 3235-0958 • 99197-8344

Espaço Científico

Encontre conteúdos relacionados à área de Medicina Fetal, Imunologia da Reprodução e assuntos ligados a área de fertilidade em geral.
Home » Espaço Científico
Compartilhe:
aborto-repeticao

11 de setembro de 2015

Causas de Aborto de Repetição

Artigo publicado no Journal of Reproductive Immunology em 2010

Abortos recorrentes: conceitos atuais no diagnóstico e tratamento

Bettina Totha, Udo Jeschkec, Nina Rogenhoferb, Christoph Scholzc, Wolfgang Wurfeld, Christian J. Thalerb, Antonis Makrigiannakise

Departamento de Endocrinologia Ginecológica e problemas de fertilidade,
Ruprecht-Karl Universidad e de Heidelberg, Heidelberg, Alemanha.

Apesar de abortos espontâneos recorrentes (AER) afetar apenas 1-3% dos casais, tem uma grande influência no bem-estar e status psicossocial dos pacientes. Portanto, a pesquisa sobre diagnóstico e desenvolvimento de novas estratégias de tratamento é essencial. Nesta revisão, nós vamos resumir os conceitos atuais sobre diagnóstico e tratamento em AER, com base na pesquisa, relatórios e diretrizes internacionais para fornecer informações sobre a fisiopatologia da gravidez interrompida por aborto repetido. Malformações anatômicas, doenças infecciosas, desordens endócrinas, defeitos auto-imunes, bem como trombofilia hereditária e adquiridos são fatores de risco estabelecidos no AER. Além disso, nossas descobertas recentes indicam um impacto sobre incidência de aborto das glicoproteínas tais como glicodelina, e receptores de hormônios nucleares como os proliferador de peroxissomo (PPARs). A expressão significativamente reduzida da Glicodelina está associada com aborto espontâneo, enquanto que a elevação de PPARs compensa a resposta imune activada ou alteração na diferenciação do citotrofoblasto em pacientes AER. Há também evidências que micropartículas placentárias estão aumentadas em um subgrupo de pacientes AER, indicando um estado pró-coagulante adquirido. As estratégias de tratamento, como a heparina de peso molecular baixo e aspirina (HBPM) são medicamentos padrão em AER, embora apenas alguns poucos estudos controlados com placebo têm demonstrado o seu benefício no que diz respeito a taxa de natalidade. Há evidências emergentes de que as novas opções de tratamento, incluindo medicamentos como o TNF e estimulantes de colônias de granulócitos-factor (G-CSF) podem ser benéficos em alguns casos de AER. No entanto, ensaios clínicos maiores devem ser concluídos ainda para provar ou refutar benefícios dessas drogas no tratamento do AER.

Instagram
AV. Anita Garibaldi, nº 1555, Sala 105 - Centro Médico Garibaldi
CEP 40210-902, Salvador, Bahia
Telefax 71 3235-0958 / 99197-8344
Email: aloimune@aloimune.com.br
Responsável Técnico - Dr. Manoel Sarno - CREMEB - 13410
© Todos os direitos reservados - 2015 - CREMEB: 13410
Leadone